Continuous Discovery: o que é e como aplicar a pesquisa contínua

Patricia Prado
Patricia Prado

Tudo o que você precisa saber sobre Continuous Discovery e porque utilizar essa metodologia para construir produtos de sucesso, considerando a experiência dos usuários.

Nos últimos anos, a indústria de desenvolvimento de produtos digitais tem passado por uma revolução. Antigas abordagens em que se levava meses ou até anos para lançar um produto foram substituídas por métodos mais ágeis e eficientes. Entre esses métodos, destaca-se o Continuous Discovery, uma estratégia que tem sido adotada por empresas de renome como a Google ou a Blip para impulsionar o sucesso de seus produtos digitais. 

Neste artigo, vamos explorar o que é o Continuous Discovery e como aplicar essa metodologia para alcançar resultados melhores em seus projetos. Vem com a gente!

Equipe técnica e de negócios da Making tecnologia trabalhando colaborativamente para a reformulação do GW – sistema focado no fechamento de contas dos hospitais.

A equipe da Ideativo está preparada para ajudar empresas a evoluir as funcionalidades dos produtos ou criar novos serviços baseados em descobertas contínuas.


O que é Continuous Discovery?

Continuous Discovery é uma abordagem de desenvolvimento de produtos digitais baseada na ideia de aprendizado contínuo e iterativo. Ao contrário dos métodos tradicionais, em que se trabalha em um produto por meses sem ter uma validação real, a pesquisa contínua enfatiza a importância de obter feedback constante dos usuários desde as fases iniciais de concepção do produto até sua evolução conforme o uso.
Nessa estratégia, o foco principal é entender as necessidades e desejos dos usuários, bem como analisar seus comportamentos e expectativas. Dessa forma, é possível criar produtos que atendam às demandas reais do mercado, melhorando a experiência dos usuários.

Como aplicar Continuous Discovery?

Defina seus objetivos

Antes de iniciar o processo de Continuous Discovery, é fundamental ter clareza sobre os objetivos do produto. Defina o que você espera alcançar com o seu produto digital e como ele pode agregar valor aos usuários. Essa definição ajudará a orientar todo o processo de descoberta contínua.

Compreenda seus usuários

Para aplicar o Continuous Discovery com sucesso, é necessário entender profundamente os usuários. Realize pesquisas, entrevistas e análises para obter insights sobre suas necessidades, preferências e desafios. Entenda como seu produto pode resolver problemas reais e fornecer uma solução única.

Esse é o Don Nomam, professor emérito de ciência cognitiva na Universidade da Califórnia em San Diego e professor de ciência da computação na Universidade Northwestern, mas seus trabalhos de hoje são na maioria na engenharia de usabilidade.

Valide suas hipóteses

Conforme você coleta informações sobre os usuários, comece a testar suas hipóteses. Crie protótipos, mapeie fluxos de interação e conduza testes com usuários reais. Essa abordagem permite que você valide suas ideias antes de investir tempo e recursos no desenvolvimento completo do produto. Veja aqui um case de mercado da Ideativo.

Ajuste e itere

Com base nos resultados dos testes, ajuste e itere suas soluções. O Continuous Discovery é um processo contínuo de aprendizado e melhoria. Esteja disposto a fazer ajustes no produto/serviço e melhorias com base no feedback recebido.

Envolva toda a equipe

A descoberta contínua não é apenas responsabilidade de uma única pessoa ou equipe. É fundamental envolver todos os membros da equipe de desenvolvimento do produto, incluindo designers, desenvolvedores e gerentes de produto. Trabalhar em conjunto permite que todos contribuam com insights valiosos e aumenta as chances de sucesso do produto.

Utilize ferramentas adequadas

Para facilitar o processo de Continuous Discovery, utilize ferramentas adequadas que permitam coletar feedback dos usuários, analisar dados e iterar rapidamente. Veja mais detalhes sobre essas ferramentas abaixo!


Criar uma estrutura de pesquisa e estratégias de atuação são essenciais para ter descobertas que façam sentido para os clientes e que sejam viáveis para o negócio.


Quais ferramentas e metodologias podem ser usadas?

Existem várias ferramentas e metodologias que podem ser utilizadas para o Continuous Discovery, cada uma com suas funcionalidades específicas. 

Contar com uma consultoria em UX pode te ajudar a encontrar as metodologias mais robustas e adequadas para realizar a descoberta contínua, por isso, fale com os Ideativos para saber mais!

Veja alguns exemplos de ferramentas que podem ser usadas:

  • Entrevistas e pesquisas com usuários: o contato direto com os usuários é essencial para entender suas necessidades e desejos. Ferramentas como Zoom, Google Meet ou Microsoft Teams podem ser utilizadas para realizar entrevistas remotas. Além disso, plataformas como o Typeform ou Google Forms permitem criar questionários para coletar feedback estruturado dos usuários.
Essas são dinâmicas que fazemos com clientes e usuários para poder mapear as melhores oportunidades de match entre necessidades e negócios.
  • Analytics e rastreamento de dados: Para obter insights sobre o comportamento dos usuários em seu produto digital, ferramentas de análise são fundamentais. O Google Analytics, Mixpanel e Amplitude são exemplos de ferramentas poderosas que permitem rastrear métricas, como tempo de permanência, taxas de conversão e padrões de uso, fornecendo informações valiosas para tomadas de decisão.
  • Testes de usabilidade: atualmente existem diversas ferramentas que permitem realizar testes de usabilidade remotos, nos quais usuários reais interagem com o produto digital e fornecem feedback em tempo real. Isso ajuda a identificar problemas de usabilidade, pontos fracos e oportunidades de melhoria.
  • Prototipagem e design: ferramentas como o Figma, a que utilizamos aqui na Ideativo, são amplamente utilizadas para criar protótipos interativos de interfaces de usuário. Essas ferramentas permitem testar ideias rapidamente, validar fluxos de interação e iterar sobre o design antes de investir em desenvolvimento completo.
Esses são projetos em fase de construção, os protótipos nos ajudam a visualizar o que será desenvolvido e possibilita a equipe técnica estimar prazos com mais eficiência.
  • Experimentação: plataformas de experimentação permitem a execução de testes A/B e testes multivariados. Essas ferramentas ajudam a validar hipóteses, testar diferentes variações de elementos de design ou funcionalidades e medir o impacto dessas mudanças nos resultados.
  • Comunicação e colaboração em equipe: é importante manter a comunicação eficiente e a colaboração entre os membros da equipe para compartilhar ideias, documentar descobertas, acompanhar tarefas e facilitar a interação contínua para colher melhores resultados.

A escolha das ferramentas e metodologias adequadas dependerá das necessidades específicas do produto, das metas da equipe e do orçamento disponível. É importante avaliar cada ferramenta em relação aos recursos oferecidos, facilidade de uso e integração com outras ferramentas utilizadas pela equipe. Se quiser aprofundar ainda mais em ferramentas, segue um conteúdo bem legal que produzimos sobre métricas e acompanhamento de resultados.


Quer aplicar esse processo na sua empresa?


Continuous Discovery para sistemas legados

Engana-se quem pensa que o continuos discovery pode ser usado apenas em novos produtos. A descoberta contínua pode ser uma importante aliada para sistemas legados que necessitam se atualizar às necessidades do mercado e enfrentam desafios únicos em relação a produtos digitais mais recentes. 

Confira alguns dos benefícios do Continuos Discovery para sistemas legados:

1 – Identificar oportunidades de melhoria

Sistemas legados muitas vezes possuem funcionalidades obsoletas ou ineficientes que podem ser aprimoradas. O Continuous Discovery permite identificar essas oportunidades de melhoria por meio de feedback dos usuários, análise de dados e compreensão das necessidades em constante evolução do mercado. Isso possibilita a otimização dos sistemas existentes para fornecer uma experiência melhor e mais alinhada às expectativas dos usuários.

2 – Atender às mudanças do mercado

O mercado e as demandas dos usuários estão em constante evolução. Os sistemas legados podem ter sido desenvolvidos há muito tempo e podem não estar mais alinhados com as necessidades atuais dos usuários. 

Por meio do Continuous Discovery, é possível entender essas mudanças e adaptar o sistema legado de forma incremental, garantindo que ele continue relevante e competitivo no mercado.

3 – Reduzir a resistência à mudança

A introdução de mudanças em sistemas legados muitas vezes pode encontrar resistência por parte dos usuários e das equipes responsáveis pelo sistema. Através do Continuous Discovery, é possível envolver os usuários e as equipes desde as fases iniciais, permitindo que eles participem ativamente do processo de melhoria contínua. 

Dessa forma, é provável que aceitem e apoiem as mudanças, pois se sentirão parte do processo e entenderão os benefícios das melhorias propostas.

Aplicação de dinâmica que visa inserir os diferentes stakeholders em um processo colaborativo. Complexo e trabalhoso, mas muito gratificante ver todos se posicionarem e defender seus pontos de vista.

4 – Priorizar investimentos de forma estratégica

Sistemas legados geralmente têm limitações de recursos e tempo. Através do Continuous Discovery, é possível obter dados e feedbacks contínuos dos usuários, o que permite priorizar os investimentos em áreas que trarão maior valor. Em vez de gastar recursos em atualizações massivas e arriscadas, é possível realizar melhorias incrementais e constantes que se alinham às necessidades reais dos usuários.

5 – Garantir a sustentabilidade do sistema a longo prazo

Ignorar a necessidade de melhoria contínua em sistemas legados pode levar a problemas de obsolescência, falta de suporte técnico e dificuldades de escalabilidade. A descoberta contínua permite que os sistemas legados sejam mantidos atualizados e relevantes, garantindo sua sustentabilidade a longo prazo. 

Em resumo, o Continuous Discovery desempenha um papel fundamental na transformação de sistemas legados, permitindo que sejam aprimorados de maneira contínua e alinhados às necessidades dos usuários e ao contexto de mercado em constante evolução. 

Além disso, a adoção de práticas ágeis e iterativas reduz o risco de grandes interrupções no funcionamento do sistema durante atualizações.

Ao adotar essa estratégia, as organizações podem maximizar o valor de seus sistemas legados, proporcionando uma melhor experiência aos usuários e mantendo-se competitivas no cenário digital.


Sistemas legados têm diversas oportunidades para o processo de discovery pois já possuem clientes que podem ser consultados e inseridos no processo.


Profissionais de UX fazendo visita técnica para entender o cotidiano dos clientes.

Por que contar com uma consultoria de UX para aplicar o Continuous Discovery?

Contar com uma consultoria de UX pode trazer benefícios significativos ao aplicar o Continuous Discovery em um produto digital. Confira algumas razões pelas quais é valioso ter o suporte de uma consultoria  especializada:

  • Experiência e especialização: essa expertise ajuda a maximizar a eficiência do processo e obter insights valiosos para o desenvolvimento do produto.
  • Perspectiva externa: é possível oferecer uma visão fresca e objetiva, identificando oportunidades e desafios que a equipe interna pode não ter percebido. Isso ajuda a evitar vieses cognitivos e a tomar decisões mais embasadas, impulsionando o sucesso do produto.
  • Metodologias robustas: para conduzir pesquisas, análises e testes de forma estruturada e apresentar insights de maneira clara e acionável. Essas metodologias aumentam a eficácia do Continuous Discovery e garantem resultados confiáveis.
  • Acesso a recursos e ferramentas avançadas: isso inclui ferramentas de pesquisa, prototipagem, testes de usabilidade, análise de dados e visualização de informações. Ao aproveitar esses recursos, é possível obter resultados mais precisos e abrangentes para tomada de decisão.
  • Economia de tempo e recursos: a equipe interna pode se concentrar em suas principais responsabilidades para o desenvolvimento do produto, enquanto os especialistas em UX cuidam do processo de Continuous Discovery. 
  • Capacitação da equipe interna: além de fornecer suporte direto, a consultoria de UX pode capacitar a equipe interna em relação às melhores práticas de UX e à aplicação do Continuous Discovery. Isso inclui treinamentos, workshops e orientações personalizadas, permitindo que a equipe adquira habilidades e conhecimentos essenciais para continuar o processo de descoberta contínua no futuro.

Em resumo, uma consultoria de UX traz conhecimento especializado, perspectiva externa, metodologias robustas e acesso a recursos avançados, além de economizar tempo e recursos e capacitar a equipe interna. 

Essa parceria pode impulsionar o sucesso do Continuous Discovery, resultando em um produto digital mais alinhado às necessidades dos usuários e com uma melhor experiência ao usuário.

Se você quer colocar isso em prática em seu produto digital em desenvolvimento ou sistema legado, fale com os Ideativos e tenha o auxílio de uma consultoria especializada em UX!


Aplicar o Discovery continuous é uma estratégia para se manter relevante, mas sua aplicação não deve ser algo com resultados rápidos, é preciso ter acompanhamento e medição!


Curtiu? Deixe sua avaliação

É só um clique 😉

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 10

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Gostou? Então, cadastre-se para receber nossos conteúdos​

Conteúdos recentes

Minha conta